Quando o Amor Se Cala

Curiosamente, após dois meses de emoções intensas, o texto que nasce prefere esconder-se no silêncio. A inspiração que ansiava por fazer barulho e criar asas deu lugar a uma melancolia que faz do silêncio a sua voz. Pena, porque era tão cheia de luz e tão colorida…

Talvez seja isso que acontece quando o amor se cala…

Alguma coisa se apaga quando essa força descomunal e fascinante precisa ser contida por inúmeras razões. Por respeito, por necessidade, ou mesmo apenas por consciência… Pode ser muito penoso quando se precisa calar o amor dentro de si… Mas… A vida nem sempre é justa. E tampouco ela permite que as coisas sejam como queremos… Nesse caso, só nos resta aprender a dançar conforme a música.

Creio que já experimentei milhares dessas nuances, desde encantamentos que podem ser confundidos com amor, ou mesmo um amor profundo e desmedido… acho que tive a sorte de conhecer todas as facetas desse poder que move o universo, e hoje… Nessa tarde amena e silenciosa, acho que aprendi mais uma coisa sobre ele e sobre mim mesma… Aprendi que estamos no caminho certo da maturidade quando sabemos quando é a hora de calar o amor, sem necessariamente destruí-lo.

A parte mais magnífica do ser humano são as suas emoções e a consciência de cada uma delas. Conhecê-las e aprender a lidar com elas é o que nos torna superiores aos animais de um modo geral. É a consciência. E a consciência gera sabedoria. E a sabedoria nos faz governar as nossas emoções. E quando governamos as nossas emoções, nos tornamos senhores de nós mesmos.

Calar o amor não significa amordaçá-lo, nem alterar sua natureza… Significa apenas administrá-lo, de modo que ele permaneça livre, de modo que ele continue a produzir o bem, mas de maneira ordenada, sem que dê chances para as doidices da paixão… Porque esta sim, pode ser absolutamente desastrosa se não for domada a tempo.

Aprender a calar o amor, quando necessário, é permitir que as coisas aconteçam serenamente a seu tempo… É deixar a semente dormindo na terra, até que a primavera chegue trazendo o momento propício para que ela germine. E a primavera não vem ao nosso estalar de dedos… Tudo o que está destinado a ser duradouro não brota da noite para o dia e, somente a paciência é a nossa verdadeira aliada para a colheita dos frutos.

Aprender a calar o amor, é aprender a não sofrer quando as circunstâncias não nos são favoráveis… E, curiosamente, pode-se descobrir nesse processo, que o amor fala muito mais alto quando se cala.

no-silencio-de-nos-dois-o-amor-grita-e-se-faz-musica-c

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s