Não Existe “Arte pela Arte”.

A Arte é uma necessidade humana básica que transcende as civilizações. Tudo o que sabemos hoje sobre os antigos impérios e toda sua história nos foi contado pelos artefatos e registros artísticos encontrados nos sítios arqueológicos, não por dados, números ou qualquer outro tipo de registro que conhecemos e designamos como “sérios” hoje. Porque, quem disse que arte não é algo que precise ser levado a sério?

Não existe um ser humano sequer que consiga percorrer toda a sua trajetória de vida sobre a face da Terra absolutamente sem qualquer tipo de contato com algum elemento artístico, seja ele qual for. Da tradição oral às elaboradas produções, a Arte tem um papel fundamental até mesmo na capacidade de sobrevivência. E, ainda assim, qual é a imagem que se tem do artista?

Em uma era onde tudo é “conceitual”, a Arte, infelizmente, deixou de cumprir o seu papel de evocação da essência benigna e emocional do ser humano, e tornou-se mera ferramenta de entretenimento, vazio de sentimento e significado. Sim, a arte tem sido mal utilizada não é de hoje, e há registros históricos de como a Arte também era utilizada para doutrinar politicamente e outras formas de manipulação, e tais estratégias são aplicadas até hoje, tão profunda é a ação da Arte sobre o cérebro. Diante de uma jaula cujo propósito e licença poética talvez sejam realmente levar o observador a ponderar sobre o cárcere diário que nos encerra a sociedade contemporânea, não consigo fugir à pergunta: Que diferença faz passar o dia engaiolado em um escritório e, ao final do dia, deparar-se com grades num lugar que, supostamente, deveria ampliar seus horizontes e abrir seus olhos para a beleza e as cores vivas de um outro universo?

No meu entender, a arte deixa de ser Arte quando ela não cumpre o seu papel de tocar a alma e fazer alguém sentir-se vivo pelo simples fato de emocionar-se, de se lembrar que tem um coração pulsante e que, muito mais do que cumprir uma função biológica, ele está ali porque estamos todos profundamente ligados ao universo inteiro, muito além da matéria. A arte deixa de ser Arte quando seus conceitos, a pretexto de “quebra de paradigmas, convenções” e etc, aprisiona o ser humano ao invés de despertá-lo e libertá-lo para o BEM, para o que é BOM e para o BELO. “Mas esses conceitos são completamente subjetivos”, certamente intervirá alguém, contudo, penso que basta olhar para a natureza, mesmo com toda a selvageria da luta pela sobrevivência, para entender tais conceitos a fundo.

Ser artista é justamente conduzir os olhos e ouvidos das pessoas para isso. É lembrá-las de que são parte de um Plano de Amor, que suas vidas são um presente precioso, ainda que em singelos toques de cor. O idiota que inventou o conceito de “arte pela arte” jamais compreendeu a fundo seu propósito e, pior ainda, rebaixou os artistas, os verdadeiros que dedicam horas, dias e anos estudando minuciosamente cada aspecto de seu ofício com esmero e afinco, que dedicam suas vidas a retratar toda a beleza da Coroa da Criação, o próprio ser humano, a vagabundos com ideias malucas para quem tudo é válido e qualquer coisa é permitida, que fazem arte somente por “amor à arte”.

Sinceramente, esse tipo de coisa está bem longe de ser Arte, e todo indivíduo que se comporta dessa maneira, é qualquer coisa, menos Artista, ciente do dom divino que carrega dentro de si e de sua influência sobre toda uma geração ou até mesmo sobre toda uma civilização. A verdadeira Arte é um ofício árduo, que requer tempo, dedicação e muita persistência para se conseguir que o trabalho do artista seja reconhecido como um verdadeiro ganha-pão. O público raramente tem noção das horas de estudo e ensaio que um músico despende para que um concerto possa ser realizado, por exemplo. Quem vai a uma exposição, não se dá conta de que um único quadro pode ter levado meses até ser concluído… E, por mais que todos admirem a arte, ainda desprezam o ofício como uma profissão tão séria e conceituada quanto qualquer outra…

Justamente porque alguns cabeças-de-vento acham “bonito” o conceito de arte pela arte e que “comercializá-la” é um atentado ao fazer artístico…Não deveria ser, uma vez que, para que o trabalho seja bem feito, paciência, tempo e persistência são essenciais para a sua realização.

Valorize o artista.

IMG10417

Advertisements

1 Comment

  1. Beautifully written Clara, i hope and pray the beauty found in your heart and spirit never changes but continually blossoms more and more! Have a wonderful weekend!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s