Amor ao Inverso

 
 
 Amor ao Inverso
 
Gravo nos versos de uma poesia
Palavras que em uma carta de amor
Jamais poderão ser escritas.
Para que se possa manter velado este dulçor
A fim de se evitar, futuramente, sorte desdita.
 
Que ressoe nos versos
O amor que nasce da amizade.
Que da ternura declarada faça-se o inverso,
E que cale-se o amor
Ante a razão da realidade.
 
Por que sonho, se sonhar não devo?
E por quê me importunas, amor,
Se em meu coração não te quero deixar entrar?
Que venha a música e arrebate-me em seu enlevo
Para que se apresse a alma em despertar,
E que cesse, enfim, o ardor que lhe aquece,
Fazendo-a flutuar.
 
Que em lugar da desventura de um amor não correspondido,
Reine a paz da amizade solidificada.
Que manifeste-se somente na poesia
A declaração que para sempre deve manter-se calada.
 
Clara Maria Cristina Borges de Medeiros
Niterói, 03 de Maio de 2006.
 
 
 
 
 
 
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s